sábado, 25 de junho de 2011

Eu Acho Que Ainda Não Tá Bom

Por uma questão de educação perguntei a esse meu amigo. Você leu o meu blog? Li. Eu sei que ele não gosta das coisas que escrevo. É o tipo que diz: antigamente era melhor. Depois de algum tempo você escreve porque não consegue parar de escrever e já não se importa mais com a opinião dos outros. Ele disse: eu não gosto daquele troço de erro de português e palavrão, parece que tá querendo chocar, porra! Um escritor me disse: você não vai ler o meu livro porque já me conhece. Conheci alguns artistas insuportáveis pessoalmente, e continuei lendo e ouvindo as suas obras. Até aonde o artista é aquilo que faz? Eu penso que o artista e a sua obra se confundem, mas não são iguais. Alguns clichês são sempre válidos. Fico assustado quando sou associado ao que escrevo. Não sou aquilo, mas também sou. Eu ouvi o último disco de fulano de tal que está quarenta anos na música. E posso garantir que com o tempo ele ficou melhor. Embora ainda falem que não superou o primeiro disco. E com um velho escritor acontece o mesmo. No Brasil se enterra a pessoa viva. Ou será que é só a nossa inveja da capacidade do outro. As pessoas próximas são as que menos se importam com o quê quer que eu faça. Não aprenderam a separar a arte do artista. Todo mundo quando conversa comigo se torna especialista em música e literatura. Interrompi meus pensamentos. Ele parou e disse: eu acho que ainda não tá bom. Eu disse: eu também.

3 comentários:

  1. Não, ainda não está bom...

    Antes de escutar seu palavrão (porrrra! esse louco se deu o trabalho de escrver só pra me trolar a paciência!) vou esticar o que não está bom.

    Não está bom - o preço do papel, das tintas, talvez a carga de impostos, sempre um peso no papel do escritor/leitor. www.Óbvio-do-mundo.br

    Não está bom - essa dos analistas buscarem filigranas na biografia dos autores, para resumir a obra: elescreveuporque é impotente, bicha, maconheiro etc. sempre yin ou yang. Se esquecem de gostar ou não do que leêm.

    Não está bom - ser 1 faz-blog, mesmo sabendo do preço do abandono, nossas artes-letras jogadas ali para os leio-nãoleio's da vida.

    Pessoalmente, não dou muita obra pra isso, mas por outro lado construo 1 diálogo, rede?, com os leio-nãoleio's - q é coisa viva. Viva!

    Mas e aê Delano, como é q vc está? Sou leitor por aqui, mas só de vez em quando, tá? Vou seguindo o meu caminho, e conferindo os seus passos, no sinal de trãnsito: eu paro, eu passo, a gente esbarra, então pega a esferográfica, aproveita e atropela! meu corpo estatelado na calçada, efeito novela - quem sabe? daqui a um, dois, três, seis ou sete anos? minha figura imortal em algum conto... deste seu cotidiano!

    p.xnd

    ResponderExcluir
  2. O capítulo 22 do livro "Todo mundo é Jhow!", de Delano Valentim II, está disponível para download. Leia algumas páginas do primeiro colocado na categoria romance do "Edital Novos Autores Fluminenses - 2010/2011" da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro: http://www.mobileditorial.com.br/?p=397

    ResponderExcluir