sábado, 14 de setembro de 2013

Sábado, Sozinho Em Casa!

consegue se livrar da mãe. dois dias. evento da igreja. abre os olhos. uh, hoje é meu dia! pensa em cagar de porta aberta. porque não? sozinho em casa, pô! dá um chute na porta. se limpa. arrota. e peida sem necessidade. anda de cueca pela casa. diz pra si: quando quiser tomo banho! ignora o Nescau preparado pela mãe. dá uma mordida no pão. tô sem fome. como quando quiser! pega o telefone. liga pro cupincha. diz: e aí, tô sozinho em casa... arruma umas puta pra trazer pra cá... (acende um cigarro!). o outro, como quem toma um susto diz: que isso, rapá! tá pensando que eu sou agenciador de puta? num prometo nada, não, mas vô tentar! ele insiste por causa de uma história boa sobre esse cara. vai pra internet ver se tem uma puta online. tem uma porção. mas nenhuma delas dá ideia pra ele. as horas passam. o outro não aparece. pensa, foda-se, ainda tenho dinheiro pra sair. conta a merreca deixada pela mãe em cima da mesa. dá pra tirar uma onda na festa. e arrastar uma puta pra casa. quem sabe. mas mal sabe ele, que no final da nossa estória, o mocinho chega a casa de manhã, sozinho. bêbado. toca uma punheta. e vai dormir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário