domingo, 4 de agosto de 2013

Lolita, Stanley Kubrick, Adrian Lyne e Vladimir Nabokov...

o filme de Kubrick se distancia do livro. ele apresenta o Humbert Humbert verdadeiro. sem a máscara social. nos conta os podres que Humbert Humbert só contaria a si mesmo. extrapola a imagem que Humbert Humbert cria das pessoas. no filme de Kubrick tanto Humbert Humbert quanto a mãe de Lolita são histriônicos. gosto do clima sombrio de thriller psicológico. do nonsense. aquela cena do atropelamento parece Hitchcock. gosto do toque noir. mas o Humbert Humbert do Adryan Line é mais próximo da descrição que o personagem faz de si mesmo. no filme de Kubrick, Petter Sellers impressiona já na primeira cena em que aparece dançando aquela musica formidável, assim como Lolita. Peter Sellers tem toda o seu ar canastrão. na cena do hotel tortura Humbert-Humbert psicologicamente. vi uma entrevista em que Nabokov evitou falar de Lolita de maneira mais profunda. ou ele não quis se limitar a falar de Lolita. também não sabemos que tipo de constrangimento sofria ao ter que falar de Lolita. o livro parece ter superado o conjunto da obra. Adrian Lyne acerta ao mostrar Annabel, a paixonite adolescente de Humbert Humbert, pois é uma substituta para ela que Humbert Humbert busca em todas as meninas até encontrar Lolita. a Lolita de Kubrick é mais sensual. mais tentadora. como na cena antológica em que toma banho de sol. mas é uma Lolita que não dá a mínima para Humbert Humbert. é uma Lolita cruel. já a Lolita do Adrian Lyne tem uns momentos de ternura com Humbert Humbert. pode até se dizer que rola uma lua de mel entre os dois. talvez isso seja mais próximo do livro. pois de alguma maneira ela alimenta o jogo. não pode ser sempre esnobe. na minha opinião a cena em que Humbert Humbert reencontra Lolita é a cena que gosto mais do filme de Kubrick. a noção do fracasso está ali. e novamente a memorável cena do reencontro em que fica explícito toda decadência e desespero de Humbert Humbert. doente de ciúme. também opino ser cena que mais gosto do filme de Adrian Lyne. mas o melhor é ler o livro, assistir aos filmes, e tirar as suas própria conclusões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário