sábado, 13 de julho de 2013

Franz Kafka e Albert Camus

li O Estrangeiro de Albert Camus numa tarde, fiquei chapado, e desde então tive vontade de ler algo parecido com aquilo. fui ler mais Camus. peguei O Mito de Sísifo que é um ensaio filosófico maravilhoso. no final fui presenteado com um ensaio sobre Franz Kafka. talvez por aí eu conseguisse alguma coisa. em minha cabeça, ou na realidade, Camus foi influenciado por Kafka. numa tarde, deitei no mesmo sofá, e da mesma forma que aconteceu quando li O Estrangeiro de Camus, fui hipnotizado por aquela metamorfose de Kafka, não consegui me levantar enquanto não finalizei, o livro. não quero dar a minha interpretação da historia. até porque esse negócio de achar que um livro tem uma interpretação é coisa de religião ou de intelectuais. e não quero que aquela pessoa feliz, que ainda não leu A Metamorfose, ou O Estrangeiro, seja poupada de qualquer novidade. mas no meu caso, o primor de Kafka, o que ele conseguiu fazer com este leitor ignorante, foi o seguinte, além de me levar a pensar sobre a profundidade do que foi abordado, é claro. ele me conduziu aquele quarto. até hoje os olhos de Gregor me perseguem. consigo descrever Grete. o senhor Samsa. conheço o cheiro das suas roupas. conheço as cores. e a voz de cada um deles. estive naquele quarto. posso jurar que estive lá os observando durante algum tempo. até a sensação de sufocamento que a sociedade nos dá, senti com mais intensidade durante a leitura. consigo debruçar sobre aquela janela, e ver um sol que ilumina o mundo de maneira infinita. como num sonho. o livro caiu da minha mão. fiquei exausto.

2 comentários:

  1. É bom ver outros partilhando o gosto por tais livros. Senti o mesmo quando os li. Acredito que você tenha buscado os outros livros do Kafka depois de ter lido "A metamorfose" mas me atrevo a te recomendar "O Processo". Na minha opinião é o melhor livro dele. Gostaria de lhe indicar também, "Crime e Castigo" e "Os Possessos" do Dostoievski. São livros espetaculares e acredito que você sentirá o mesmo que sentiu ao ler os livros citados por você. Acredito que tenha sido Dostoievski que tenha iniciado o conceito de absurdo na literatura. Ele influenciou profundamente Camus e Kafka. Espero que goste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Andre... amigo "O Processo" é realmente impressionante...
      agora, eu não li "Os Possessos". Vou buscar, obrigado pela dica. Realmente não havia pensado em "Crime e Castigo", tem razão...
      Forte abraço....

      Excluir