quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O Papai Noel no Maracanã

Quando eu era criança a gente era tudo feliz no Rio de Janeiro. Tudo colorido, bonito, gel no cabelo, ombreira, e Atari. A Blitz na vitrola, e o Balão Mágico na tevê. Todo mundo imitando o Michael Jackson. Parecia que a gente estava na plateia do Chacrinha vivendo uma eterna tarde de sábado. Mas criança do subúrbio tinha doença pra cacete. Pois se bebia água da bica, e comia amêndoas na rua. A gente tinha pano branco, caxumba, rubéola, coqueluche. O maior evento do ano era assistir a chegada de helicóptero do Papai Noel no Maracanã. Mas teve um ano em que eu peguei a única doença que não podia, pois as outras crianças tinham pavor. Catapora. Eu não queria espantar todo mundo do estádio. Esse até hoje é o maior trauma da minha infância. Se bem que eu não pude ter um videogame... E também...